arritmia cardiaca

Arritmia cardíaca: o que é?

A arritmia cardíaca é uma condição caracterizada por alterações no ritmo dos batimentos do coração. Ela pode ser resultado de desequilíbrios no próprio órgão ou pode ser sintoma de problemas físicos ou psicológicos não necessariamente relacionados ao sistema cardíaco.

Não existe apenas um tipo de arritmia. Dentro das arritmias há a taquicardia, quando o ritmo é acelerado demais e a bradicardia, quando a cadência é muito lenta. Tanto uma quanto a outra são passíveis de agravamento e podem levar o coração a um colapso.

Em outras palavras, a arritmia cardíaca é um desbalanço rítmico do coração. É como se a sinfonia do órgão ficasse desajustada e desafinada. Quer saber um pouco mais sobre esse quadro de saúde? Leia o artigo completo e entenda melhor.

A arritmia é um problema sério?

Sim. A arritmia é uma condição clínica que demanda investigação e acompanhamento médico, afinal, a alteração no ritmo cardíaco compromete o bombeamento do sangue e, em alguns casos mais graves, pode até levar o indivíduo a óbito. Ao notar qualquer mudança nos batimentos do coração, é importante procurar o cardiologista o quanto antes.

Quais são os principais sintomas?

Os principais sintomas de arritmia cardíaca são as palpitações, fadiga, queda de pressão, desmaios, falta de ar, enjôos e vertigem. As manifestações podem variar de caso para caso, sendo mais brandas em alguns pacientes e mais severas em outros.

E os fatores de risco?

Há alguns fatores que predispõem indivíduos ao desenvolvimento de arritmia cardíaca, entretanto, apesar do risco ser aumentado em determinados grupos, não significa que quem tem um ou mais aspectos predisponentes vá desenvolver alterações no ritmo dos batimentos cardíacos.  Cumpre salientar que entre os principais fatores de risco estão o tabagismo, obesidade, apneia do sono, alcoolismo, distúrbios na tireoide, diabetes, hipertensão, estresse e influência genética.

Como prevenir?

A principal forma de prevenção é combater os fatores de risco controláveis, como por exemplo, se abster do cigarro e do álcool em excesso, além de praticar exercícios regulares e se alimentar de maneira saudável para evitar o sobrepeso, diabetes e hipertensão. Para diminuir as chances de desequilíbrio nos batimento cardíacos, uma vida leve e balanceada é essencial.

Como diagnosticar a arritmia cardíaca?

Para verificar se de fato os batimentos cardíacos estão descontrolados, procure o especialista. Além de exame físico, o cardiologista pode solicitar exames como ecocardiograma, eletrocardiograma, holter 24 horas e teste ergométrico. Com base na confirmação do diagnóstico, o tratamento adequado deve ser iniciado, de acordo com a arritmia apresentada.

O que fazer para tratar a arritmia cardíaca?

Um dos pontos determinantes no tratamento consiste em determinar a origem da arritmia cardíaca e os sintomas decorrentes desse balanceamento rítmico. Por exemplo, se a causa da arritmia for um problema na tireoide, o tratamento tende a ser melhor sucedido se houver acompanhamento para corrigir os problemas na glândula.

Além de agir sobre a raiz causa da arritmia, costuma ser necessário o tratamento farmacológico com medicamentos específicos, como anticoagulantes. Nos casos mais graves, pode ser preciso intervir com procedimentos mais invasivos, como ablação e cirurgia.

Quer saber mais sobre arritmia? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista em Uberlândia.

Comentários
Avatar

Posted by Dr. André Navarro