Sedentarismo e obesidade

Sedentarismo e obesidade: os riscos para o coração

O número de pacientes no mundo com doença cardiovascular só cresce. Isso acontece devido aos novos hábitos de alimentação e estilo de vida adotados pela população nas últimas décadas. Estima-se que, só em 2015, mais de 17 milhões de pessoas foram a óbito em consequência de problemas cardiovasculares. A boa notícia é que grande parte dos efeitos dessas doenças podem ser evitados, sobretudo, controlando o sedentarismo e obesidade. Doença cardiovascular representa um conjunto de patologias que afetam o coração e os vasos sanguíneos. Só para exemplificar, é possível citar a doença coronariana, trombose venosa profunda, infarto, hipertensão e arterioesclerose. Em geral, ocorrem em decorrência do acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, situação que prejudica o fluxo ideal de sangue e seus nutrientes para as outras partes do corpo, em especial, o cérebro e o coração. Neste post, aprenderemos um pouco mais sobre o tema. Confira!

Como evitar doença cardiovascular?

A principal forma de evitar as doenças cardiovasculares é por meio do controle dos fatores de risco. Existem dois grupos:
  • os não modificáveis, que incluem idade, sexo e genética;
  • os modificáveis, que englobam os comportamentos e hábitos de vida, tais como o sedentarismo e obesidade.

O que é obesidade?

A obesidade é considerada doença crônica, definida como o excesso de gordura corporal provocada por diversas condições, tanto genéticas quanto ambientais. Histórico familiar, distúrbios psicológicos e, principalmente, ingestão calórica inadequada são os motivos preponderantes do sobrepeso. O indivíduo que possui índice de massa corporal (IMC) maior que 30 é classificado como obeso e integra o grupo de risco para diversas doenças crônicas.

O que é sedentarismo?

Uma das palavras mais utilizadas quando o assunto é o aumento do risco de desenvolver doenças, o sedentarismo é a ausência de exercícios, que envolvem esforço físico de maior ou menor intensidade, de modo regular. A pessoa sedentária realiza, somente, atividades que não elevam o seu gasto energético.

Por que sedentarismo e obesidade são um risco para o coração?

Primeiramente, a falta de atividade física e o excesso de peso estão diretamente associados ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, assumindo o posto dos principais fatores de risco. Isso porque eles contribuem ativamente para o aumento da quantidade de lipídeos na corrente sanguínea. O sedentarismo intensifica o ganho de peso e, desse modo, o armazenamento de gordura nas células adiposas. Quando a capacidade de armazenar gordura da célula chega no limite, o fígado começa a desempenhar esse papel também. O acúmulo de gordura no fígado prejudica a metabolização dos níveis de colesterol LDH e HDL, acarretando graves consequências para o funcionamento do sistema circulatório. A propensão para problemas no coração decorre do desequilíbrio dos níveis de pressão arterial, lipídios no organismo e resistência à insulina. Tanto a falta de atividade quanto o sobrepeso, elevam a intolerância das células do corpo à ação da insulina, acumulando açúcar no sangue. Assim como problemas no coração, ainda pode ocorrer predisposição a diabetes. Sedentarismo e obesidade não só favorecem o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como aumentam o risco de diversas outras doenças crônicas, como diabetes e, até mesmo, câncer. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista em Uberlândia.
Comentários
Avatar

Posted by Dr. André Navarro